Quando adquirimos um gato é sempre uma alegria. Vê-lo brincar, os primeiros aprendizados, cada hora uma novidade. Aí chega o momento de levá-lo ao veterinário. Esquecemos de comprar a caixinha de transporte, ou compramos o transporte, mas ele estava guardado e o gato não está acostumado com aquele negócio estranho e escuro e não vai entrar ali facilmente. Então, o que fazer para facilitar esse momento?

1.       Primeiro passo: Pesquisar antes de adquirir seu gato. Isso é muito importante, estar preparado para o comportamento felino, as mudanças a serem feitas na sua casa e na sua rotina, os medos e as necessidades do gato, tudo isso irá ajudar na hora de planejar levá-lo ao veterinário.

 2.     Segundo passo: Adotou o gato, não adquira caixa de transporte pequena, lembre-se que seu gato vai crescer. Gatos pesam em média 4 a 5kg. Planeje-se. Adquira uma caixa de transporte resistente que caiba um gato adulto para que dure até ele crescer totalmente (em torno de 1 ano e meio de idade). Outra característica importante da caixa de transporte que as pessoas não se atentam é a possibilidade de retirar a parte de cima da caixa ou ter abertura por cima. Por quê? Quando a abertura é apenas frontal a abordagem para a retirada do gato na consulta é muito mais ameaçadora e desconfortável para o felino. Havendo a possibilidade de retirada do topo da caixa, consegue-se retirar o gato de maneira que ele não se sinta totalmente ameaçado. Em alguns casos conseguimos fazer boa parte do exame dentro da caixa de transporte ainda.

3.       Terceiro passo: Ok, agora você já pesquisou, possui uma caixinha de transporte adequada, sua casa está adaptada para seu gato e você tem um gato. Pegue a caixinha de transporte e deixe-a superconfortável e cheia de brinquedo dentro e aberta e disponível para o gato na casa desde o primeiro dia. Desta forma quando ele tiver que entrar nela para ser transportado para outro local, não será tão assustador, pois estará em um lugar confortável e familiar onde ele se sinta seguro. Lembre-se que tem que ser um local sem muito barulho, sem incômodos ao gato, para que não associe a caixa a algo ruim.

 4.       Quarto passo: Ta bem, você já fez todo o possível dentro de casa possível para seu gato ficar tranquilo para iniciar a viagem. Quando colocá-lo na caixinha de transporte, com um paninho confortável lá dentro, feche a portinha e garanta que ele está seguro, use um pano, ou uma toalha, algo que você consiga cobrir a caixa inteira para o gato não ficar assustado com todos os estímulos visuais externos do passeio.

 5.       Quinto passo: Com sua caixa coberta leve seu gato até seu veículo de escolha. Caso seja um carro, lembre-se de usar o cinto para segurança do seu gato. Transpasse o cinto na alça da caixa de transporte e fixe o cinto no Locker de segurança. Quando chegar à clínica não coloque a caixinha no chão, deixe a caixa no alto e longe de estímulos olfatórios estressantes. Mantenha o pano cobrindo a caixinha, isso reduz o estresse visual também. Evite deixar que outros animais cheguem perto da caixa. Quanto menos estresse pré consulta, melhor.

 6.       Sexto passo: No temido consultório, não se desespere. Eu sei que muitas vezes nós não gostamos de agulha, nós nos assustamos com alguma reação do nosso gato. Mas, lembre-se que tudo que você sente, você transpassa para o seu gato. Tente manter a calma e estar presente para ele. Mantenha-se no campo de visão dele. Aprenda a manuseá-lo. Caso você saiba o seu limite, não consegue manter-se calma, melhor se retirar e confiar no profissional que está ali. Se você procurou uma clínica Cat Friendly, acredite, nós antes de sermos médicos veterinários somos mães e pais de gatos, então iremos fazer tudo da melhor forma para seu filho felino.

 7.       Sétimo e último passo: Acabou a consulta, você repetiu o passo do transporte para casa, manteve o gato coberto e livre de estresse visual e olfatório. ÓTIMO. Chegue em casa, abra a caixa e deixe o gato à vontade para sair do transporte, não retire-o à força. Pode ser um bom momento de oferecer um sachê, ou um petisco que ele goste. Assim ele fará uma associação positiva dessas saídas com um final saboroso pelo menos.

 E assim você estará graduada em visitas ao veterinário! Parabéns! Qual será a próxima aventura com seu gato?
Sheila Lima – Médica Veterinária                  (Especialista em medicina felina)

 

Deixe uma resposta